Câmara aprova doação de terreno para construção da sede da AAPE Câmara aprova doação de terreno para construção da sede da AAPE

Na manhã da última quarta-feira, dia 9 de março, foi realizada no auditório da Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns – AESGA, local provisório de reuniões da Câmara de Vereadores de Garanhuns, a segunda votação e posterior aprovação da doação de um terreno, localizado no bairro da Boa Vista, para construção da sede da Associação dos Administradores de Pernambuco (AAPE).

Ainda no mês de dezembro, o Prefeito Izaías Régis, assinou em seu gabinete, a oficialização da doação do local que abrigará os Administradores. Após a aprovação na primeira votação, os administradores puderam comemorar, a efetiva doação que tornará concreto o sonho de uma sede própria. “Ontem foi um dia muito especial para nós Administradores, já que tivemos nosso pedido aprovado por unanimidade pelos vereadores de Garanhuns, o qual nos dará a oportunidade de oferecermos aos profissionais um local adequado para reuniões, cursos, debates e encontros, contribuindo para o crescimento e desenvolvimento da nossa profissão”, destacou o vice- presidente da AAPE Adm. Adriano Sena.

Para o vice-presidente do CRA e presidente da AAPE, Adm. José Carlos Gomes de Souza, a partir de agora será marcado o dia para o lançamento da pedra fundamental que dará início à construção da sede da Associação. “Estamos bastante ansiosos para darmos início aos trabalhos de edificação da AAPE. Aproveitando a oportunidade gostaríamos de agradecer ao Prefeito Izaías Régis, bem como aos nossos vereadores que entenderam o quanto será significativo pra todos nós disponibilizarmos um espaço exclusivo para os profissionais”, argumentou José Carlos.

O presidente da Casa do Administrador Maury Vieira, comentou sobre à importância desse novo Projeto onde a Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns (AESGA), está inserida. “Com a implantação da AAPE teremos condições de dar suporte aos alunos de administração e gestão, bem como aos administradores sindicalizados que estão nas organizações e muitas vezes não estão sendo valorizados como profissionais da área”, encerrou Maury.